quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Mudanças, Atitudes e Idéias




O que nos leva a querer mudar?
Será que é por quê o modelo de ser humano que somos não é mais compatível com as exigências do mundo? Se assim for, essa mudança trará grande esforço e pouco prazer.

Será que é por quê estamos fartos de nós mesmos e de nossas atitudes muitas vezes não louváveis? Se assim for, essa mudança trará grande esforço acompanhado de uma sublime satisfação e gozo, implicando numa felicidade construída todos os dias.

Será que é por quê estamos cansados de trair e atrair o próximo para o abismo de nossa alma sombria? Boa reflexão, o que resultará  numa consistente mudança. Em continua construção e crescimento.

Será que é por quê nossa vaidade não está alimentada o suficiente para satisfazer o nosso Ego? Nessa caso fique como está. O esforço não vale a pena.

Ou quem sabe, estamos realmente movidos pela força boa que há em nós, que exige mudança radical de nossas atitudes, nos impedindo a repetição de atos vergonhosos que prejudicam não só a nós mesmos, mas muito mais o outro?
Caso a ideia seja essa. Muito valido mudar, pois, mudanças respaldadas em tal aspecto apontam o caminho para a plenitude do respirar sem culpa. Pois saberá que o outro também respira, e tem esse direito.

O mundo é povoado de pensamentos de mudanças, atitudes “eficientes” e muitas vezes deficientes, o que nos enche de idéias deformadas da realidade. A cautela sempre é uma boa conselheira, para realizar a separação entre atos eficientes dos deficientes.  E isso aqui não tem nada a ver com diferença ou igualdade de uma pessoa. Mas tem tudo a ver com a qualidade do sorriso que você quer ter e distribuir pela vida a fora.

Muitas vezes a minha realidade é de longe a realidade que move os desejos e sentimentos do meu próximo. E é aí, que cometemos erros e as maiores injustiças, que uma vez cometidas, muitas vezes não tem volta. Perdemos amizades, nosso tão idolatrado espaço e principalmente o respeito por nós mesmos.

Mudança é um ato que deve ser experimentado com cuidado e zelo. Pois, a ação de mudar não deve cegar a alma de quem penetra nessa longa e continua estrada.

O primeiro sintoma da verdadeira mudança é o respeito e o perdão. Quem não respeita não sabe pedir perdão e muito menos perdoar..

O cuidado com as palavras é o primeiro mandamento a ser seguindo por quem deseja mudar de vida, mudar a vida e fazer diferença na vida do outro.

De uma alma truculenta só sai violência, discórdia e ódio. Muitas vezes somos odiados e não sabemos o por quê.. Quem sabe não é porquê iniciarmos o nosso processo de mudança de traz pra frente? Ou até mesmo concebemos a idéia “fenomenal” de mudança pautadas em “atitudes” egoístas de ações superficiais do desejo de mudar.

Mudança de verdade tem um preço. A DOR. Nascer de novo dói! Eis o preço! Mudança é nascer para uma nova vida.

Entenda; preço não significa preso. Quero mudar, logo, pago o preço para ser melhor, e de forma alguma posso ser um “preso” do falso e enganoso alicerce da vida que criamos, ou que criaram para nós..

Mudar pelos motivos certos vale à pena. Viveremos mais e melhor!

Mudança é deixar o vento passar sem nos derrubar.



Texto de Regina Márcia

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Bicicleta de Rodinha.




Pensando num amigo querido resolvi republicar esse texto. Afinal o escrevi para ele... Saudades desse meu amigo...

Tarde fresca, cabeça quente. Precisando respirar para poder pensar.  Assim foi naquela tarde de verão. O mundo estava pequeno demais para a enormidade das minhas indecisões. Quando dei por mim, estava em um banco de uma charmosa pracinha perto de casa.

Com olhos desanimados e apáticos observei uma criança se equilibrando e desequilibrando em cima de uma bicicletinha de rodinha. A mãe veio ajudar, proteger, amparar. Mas um dedinho gorducho sinalizou um não. E uma vozinha determinada de criança disse: Mamãe você já me segurou demais! Agora quero tentar sozinho. Não vou cair não, a rodinha não deixa.

Aquele curto diálogo tirou-me do transe da vida adulta por alguns minutos. Passei a observar aquele pequeno valente e o desafio de sua pequena vida. Pelo visto era a primeira prova de sobrevivência no cotidiano daquela jovem vida.

Durante dez minutos observei suas tentativas. Caindo para um lado e para o outro, aos poucos foi se equilibrando, quando dei por mim o pequeno Davi, dei-lhe esse apelido. Já andava de lá pra cá. Ereto, digno e feliz. Havia vencido o desafio imposto por sua bicicleta de rodinha.

A mãe veio aplaudindo o pequeno. Muito bem querido! Disse ela. Agora você já é um ciclista.

O pequeno virou para e mãe e disse: mamãe tira as rodinhas. A mãe surpresa tentou argumentar. Vamos esperar mais uns dias. Até você se acostumar a andar com as rodinhas. Ele determinado rebateu. Mas mãe... você não está vendo que já estou ótimo? Quero que a senhora tire as rodinhas. A contra gosto a mãe atendeu ao pedido do pequeno Davi. Tirou as rodinhas. E mais uma vez lá foi ele. Porém não seria nada fácil dessa vez.

Rindo eu observava  aquela cena. Misto de determinação, coragem e inocência. Até havia me esquecido o que me levara àquela praça. Voltei a observar o pequeno.

Ele caiu duas vezes, sendo que na segunda esfolou todo o joelho. Vi que ele chorava, pois o joelho sangrava. A mãe como sempre tentava fazê-lo mudar de idéia. Vamos voltar a colocar as rodinhas?
Determinado mais uma vez disse não!

Agora com mais atenção, eu nem piscava. Quero ver no que vai dar isso. De repente o danadinho saiu pedalando. Parecia que nasceu sabendo andar de bicicleta. Sem ver comecei a bater palmas. Parecia que era eu quem estava naquela bicicleta. Meio desconcertada, pelo entusiasmo exagerado levantei ajeitando a saia, e fui andando.

No caminho de casa pensei: Preciso tirar as rodinhas que escoram a minha vida. Já é hora de removê-las! Algumas já estão até gastas de tanto suportar o peso da indecisão.

Ao longe ouvi a mãe chamar: Wagner. Vamos embora. Está tarde!


Então esse é o nome do meu pequeno Davi? Wagner... Mas sempre me lembrarei dele como Davi!
Texto de Regina Márcia


domingo, 8 de julho de 2012

Definição de ESNOBE

Um aluno perguntou ao seu professor:
____ Professor o que é um esnobe?
____ É aquela pessoa que foi educada além de sua inteligência ____ respondeu o mestre.


Crônicas e Histórias bem HuMURADas. José Elias Murad, Mineiro, Médico, professor, químico farmacêutico e jornalista. Idealizador da Associação Brasileira Comunitária para prevenção do Abuso de Drogas - ABRAÇO.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

O Crack que não é de futebol.

Minas Gerais e seus Planos de combate ao CRACK. O mal do século. 
Um problema que não é de Governo e sim de toda a sociedade brasileira. 
Como podemos contribuir? O que eu, pequenina pessoa posso estar fazendo?


sexta-feira, 20 de abril de 2012

O Menestrel ( Shakespeare)




Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.


E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.




Hei,  Você que me visita. Não tenha medo de tentar. Vamos juntos! Abra a janela do seu sorriso e as portas do seu coração. Vamos com jeitiiin bem devegariin. Bem dimansiin... 

sábado, 7 de abril de 2012

Eu quero viver essa Páscoa até depois do Natal.



 Quero uma páscoa diferente.
Uma páscoa de risos e com gosto do chocolate, do mais puro cacau, que sempre brota em abundância em nossa doce terra.


Uma páscoa que me de um olhar atento e solidário às angustias do outro.


Uma páscoa com menos preconceitos meus e mais respeito partindo de mim para com relação às minhas coisas e às alheias.


Uma Páscoa com menos calor dos desejos ardentes da paixão, e com mais serenidade e solenidade do incansável amor.


Quero comemorar com cuidado e delicadeza as boas novas que se renovam no relógio do tempo. Eu sei que o tempo é rápido, mas desejo calma na delicadeza dos sentimentos.

Quero uma páscoa de abraço quente, desinteressado. Que esse abraço seja capaz de colar os cacos dos desencontros e das desilusões da vida.

Quero ser o lenço que enxuga às lágrimas tristes do meu amigo e as minhas. E porque não as dos desconhecidos também!?

Quero ter tempo para doar meu tempo ou até mesmo um pedaço de pão. Para um corpo ou para alguma alma desfalecida. Mesmo que esse corpo seja o meu e a alma suplicante a minha!

Quero ser fonte corrente de água viva e não um atoleiro alagando as vielas da amargura tanto minhas quanto dos outros.

Quero a persistência de procurar a Paz, e não a preguiça da guerra;

Quero mais a passagem iluminada do caminho estreito, e menos as gargalhadas sombrias dos caminhos largos;

Quero ser mais com menos. Quero não só nesse domingo de Páscoa.
Quero todo dia! Ao me levantar e ao me deitar!

Meus Deus, eu quero! Quero ser um ser humano melhor. Amar o meu próximo como a mim mesma. Que eu não trate meu próximo como um sujeito indeterminado.

Ajuda-me Senhor! Ajuda-me Senhor!

Preciso querer ser melhor!

Ajuda-me viver essa Páscoa até o Natal e também depois dele.
Que o espírito de Páscoa seja todos os dias em mim. E o mais importante... Que eu me lembre disso!

Amém!
Desejo a todo(a)s amigo(a)s uma Feliz Páscoa!

Texto de Regina Márcia

sábado, 31 de março de 2012

Amor é fogo que arde sem se ver ...

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor? 

de Luís Vaz de Camões

Assim é o amor...
extensão do que  há de melhor em nós
é o membro de sustentação de nosso corpo decadente
é a consciência consciente de nossa mente inconsequente
é o grande lapidador das ações de bondade existentes em nós.
O Amor não é um sentimento, mas sim um mandamento.
Mandamento que desejamos cumprir, pois dele depende nossa existência. 
 Regina Márcia

sábado, 24 de março de 2012

Por entre montanhas. Uma mulher a frente da Direção da ABRAÇO. Mônica Miranda.

Caros leitores vocês já me conhecem tempo suficiente, para saberem que eu não seria  eu, se não abordasse todo e qualquer assunto, primeiro de forma subjetiva. Vocês sabem o quanto gosto de descrever a objetividade lançando mão de todas as subjetividades que povoam o mundo. rsrsrsrsrs Não consigo escrever se não for com a pele. Tenho estado sumida nos últimos tempo, peço desculpas, mas é por uma boa causa. Vocês hão de concordar comigo. O meu sumiço começa assim...
Por entre montanhas uma lágrima cai e vem escorrendo lentamente...
Por entre montanhas ecoa um soluço, de som desafinado e incansável, que espeta o coração de toda gente.
Por entre montanhas dói no peito um sentimento de abandono e um caso que parece ser sem dono.
Por entre montanhas de pés no chão, de salto alto, de carro ou a cavalo vejo vir vindo aos montes...
Por entre montanhas  um vulto angustiado a bailar um triste traçado.
Por entre montanhas, bem pertinho de nossas casas. 
Vejo!
Por entre montanhas um olhar embaçado, num corpo cansado a procura de chão.
Quem são esses que por entre montanhas entoam a triste canção de doídos ais?
Por entre montanhas, esses são os gemidos de quem pouco a pouco perde um alguém... ou se perde de alguém. 
Por entre montanhas escondidas estão as drogas, mas lá está também o raiar de um novo dia. 
Texto de Regina Márcia


ABRAÇO: Associação Brasileira Comunitária para a Prevenção do Abuso de Drogas. Há 26 anos amenizando, ajudando, tratando e prevenindo contra o Uso e Abuso de drogas, no Estado de Minas Gerais. 

Em um abraço solidário e consciente, nos reunimos em torno dessa montanha, na última segunda – feira dia 19 de março, Mônica Miranda, jornalista da Rádio Itatiaia, com mais de 30 anos de serviços prestados a sociedade mineira. Assumiu a presidência da ABRAÇO. Segundo ela, só vamos conseguir vencer a violência se direcionarmos todos os nossos esforços no combate ao uso de drogas estreitando, assim, a porta que tem levado crianças,jovens e adultos a se tornarem usuários de drogas. Ela acredita que a prevenção começa com os pequenos, lá na base. Desde os primeiros cinco anos de vida a criança tem que ser educada para dizer não às drogas.
Com isso espera poder contar com o apoio de toda a sociedade e faz um chamado: Vamos popularizar essa discussão e também elaborar estratégias de ações eficientes e pontuais. 

Vencer as drogas não é batalha de um homem só!            Ou melhor, de uma só Mulher!

Minas contra as drogas. Está formada a grande rede: Governo, municípios, o legislativo, judiciário, sociedade civil organizada e muitos outros. Que venham todos! Vamos juntos costurar essa grande colcha de retalhos.
Bem vinda presidenta com a força das Marias Marias.


Mas é preciso ter força
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca
Maria, Maria
Mistura a dor e a alegria
Mas é preciso ter manha
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida....



Que Deus nos abençoe a todos para realizarmos o bom combate 
Fotos do Evento


Eu e Monica Miranda

Nova Presidenta da ABRAÇO!
O Secretário antidrogas Cloves Benevides muito se empenhou para a realização deste importante evento. Ele que está a frente das grandes discussões e na elaboração de estratégias de prevenção, tratamento combate ao uso/abuso de drogas em nosso Estado. Essa rede de enfrentamento fez mais um gol ontem contra as drogas. Todos nós mineiros agradecemos. 

                                     
Darley Antônio Soares(Gestor público),
eu e Maria Rita Esposa do senhor Cloves Benevides. 
Eu, Tamara Souza (Funcionária da Subsecretaria Antidrogas) e Maria Rita.
                           

Erika Gleise (Gestora Pública de MG)
Luciene Dalles Dalles
Técnica de Rede e Sistemas
da CEMIG
Discurso de Posse do Governador
Antônio Anastasia. 
                    

Wagner Eustáquio
Organizador do evento
Gestor Público e Assessor da nova diretoria.
                   


 Maria Rita, Luciana Purysco (Psicológa da Abraço),
eu e Eliane Lopes Costa (Publicitária)

Jornalista Eduardo Costa, Prof Elias Murad (Grande Mestre e criador da ABRAÇO) e Mônica Miranda. 
Governador de Minas Gerais
Antônio Anastasia. Márcio Lacerda Prefeito de BH
 e Elias Murad Filho
Mônica Miranda - Discurso de Posse








domingo, 18 de março de 2012

O dia chegou?

Em 1972 Chico Buarque cantava uma melodia que dizia assim: "Amanhã vai ser outro dia..."


É... este dia chegou! Agora precisamos saber o que vamos fazer com ele...


O que deveríamos saber sobre as FLORES, já nos foi dito. E agora?

Caminhando e cantando e seguindo a canção... Vem vamos embora...


"Amanhã há de ser outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia."



Aconteça o que acontecer, teremos um novo dia sempre. Estamos predestinados a ter novos dias!


"... Lá vem o sol..."  
Lulu Santos.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Ser Mineiro - Carlos Drummond de Andrade

Ser Mineiro é não dizer o que faz, nem o que vai fazer,
é fingir que não sabe aquilo que sabe,
é falar pouco e escutar muito,
é passar por bobo e ser inteligente,
é vender queijos e possuir bancos.

Um bom Mineiro não laça boi com imbira,
não dá rasteira no vento,
não pisa no escuro,
não anda no molhado,
não estica conversa com estranho,
só acredita na fumaça quando vê o fogo,
só arrisca quando tem certeza,
não troca um pássaro na mão por dois voando.

Ser Mineiro é dizer "uai", é ser diferente,
é ter marca registrada,
é ter história.
Ser Mineiro é ter simplicidade e pureza,
humildade e modéstia,
coragem e bravura,
fidalguia e elegância.

Ser Mineiro é ver o nascer do Sol
e o brilhar da Lua,
é ouvir o canto dos pássaros
e o mugir do gado,
é sentir o despertar do tempo
e o amanhecer da vida.

Ser Mineiro é ser religioso e conservador,
é cultivar as letras e artes,
é ser poeta e literato,
é gostar de política e amar a liberdade,
é viver nas montanhas,
é ter vida interior,
é ser gente.

Carlos Drummond, permita-me completar? Ser mineiro é ser montanha. Ser diamante e também saber ser carvão.
Regina Márcia